Transformação digital nas instituições financeiras é destaque na XIII edição do Prêmio Relatório Bancário

Cases reforçam a tendência cada vez maior de investimentos em tecnologias como Inteligência Artificial, Biometria, Blockchain e Moedas Digitais.

São Paulo, Novembro de 2017 – Com consumidores cada vez mais exigentes e digitais, as instituições financeiras buscam na tecnologia uma aliada para inovar e oferecer uma experiência diferenciada e mais segura. Todo esse esforço será reconhecido na XIII edição do Prêmio Relatório Bancário, promovido pela Cantarino Brasileiro e considerado o mais importante do setor. Ao todo foram 299 cases inscritos envolvendo 30 instituições financeiras distintas.

A cerimônica de premiação ocorre no dia 4 de dezembro e reúne as principais lideranças do setor para reconhecer as instituições de destaque em 21 categorias: Aplicativos, Autoatendimento, Cartões, CRM, Disrupção, Eficiência Operacional, Inclusão Financeira, Infraestrutura em TI, Iniciativa em BlockChain, Inovação em Agência, Inovação em Cobrança, Inovação em Crédito, Internet, Meios de Pagamento, Processos, Projeto em Inteligência Artificial, Produtos para Conta Corrente, Serviços de Integração, Solução para Nuvem, Solução para Mobile Banking e User Experience. Também serão premiados o Banco do Ano, Melhor Banco Digital, Personalidades Financeiras (Banco Público e Privado), Tecnologia e Sustentabilidade.

Marcos Cantarino, diretor da Cantarino Brasileiro, conta que as instituições financeiras investiram pesado em inovação, pois perceberam a importância da transformação digital. “As instituições nos apresentaram casos muito interessantes de implementação das novas tecnologias, que ajudaram a melhorar a eficência operacional, aumentar a segurança e aprimorar a experiência do cliente”, ressalta.

Todos os cases foram avaliados por executivos com notório reconhecimento no setor. Confira, abaixo, alguns dos cases inscritos na XIII edição do Prêmio Relatório Bancário:

Banco Bradesco – O banco desenvolveu a BIA – Bradesco Inteligência Artificial, solução que permitiu a implementação do BIA-Mobile. Dessa forma, os clientes do Bradesco, Bradesco Exclusive e Bradesco Prime passaram a ter um voice bot com o qual podem tirar dúvidas, com sucesso de adesão e satisfação.

O banco também desenvolveu um serviço de autoatendimento para a compra de moeda estrangeira, sendo o único banco a atuar com a venda de Euro e Dólar no mesmo ATM.

Outro projeto inscrito pelo Bradesco se refere a uma solução desenvolvida para o banco pela Scopus Soluções em TI, que permite repassar valores monetários de forma digital. Dessa forma, um cliente recebe um “vale” e repassa para outra pessoa por meio das redes sociais, e, posteriormente, o valor pode ser retirado em um ATM ou há a possibilidade de utilizar os serviços financeiros, mesmo não sendo cliente da instituição.

Banco CBSS – Com o objetivo de reduzir fraudes em um dos seus principais projetos, os Cartões Digio, o Banco CBSS encontrou na Acesso Digital uma parceria para implementar a solução de Biometria Facial, sem que isso gerasse atritos com o cliente. Dessa forma, a empresa conseguiu reduzir a quantidade de fraudes e, consequentemente, custos. Além disso, a solução forneceu mais segurança para o que cliente e gerou fidelização.

Banco do Brasil – Com foco na Inteligência Artificial, o Banco do Brasil criou o Centro de Competência em Computação Cognitiva no Branco do Brasil (C4BB). Por meio dela, foi desenvolvida a solução Negócios em Inteligência Artificial (NIA), que permitiu utilizar recursos dessa tecnologia para ajudar de forma cognitiva a alavancagem de negócios e satisfação do cliente.

A instituição também desenvolveu a moeda criptográfica Flurbos, com exercício da aplicação da tecnologia Blockchain, por meio do Laboratório Avançado Banco do Brasil (Labbs). O Flurbos foi inicialmente concebido como uma prova de conceito tecnológica, mas depois se expandiu e passou a ter outras funções como, por exemplo, o controle contábil das iniciativas que transitam pelo Labbs.

Banco Itaú – O Itaú automatizou, centralizou e padronizou o processo de análise e enquadramento técnico de operações de crédito rural, com ferramenta que aperfeiçoa todo o processo. A iniciativa permitiu aumentar, de forma relevante, a produtividade da análise das operações, reduzir o tempo de processamento, padronizar o contato via e-mail e aumentar a eficiência. Como resultado, a instituição financeira registrou uma redução de 39% no tempo médio de análise, que caiu de 01:32:05 para 00:55:46 por operação e aumento de 78% no volume analisado por profissional, no ano safra 2016/2017(de jul/16 – jun/17), que passou de 249 para 444 operações.

Banco Santander – A instituição desenvolveu plataforma para contratação de crédito, disponível em sua rede de agências e em seus canais web e mobile, que permite fazer todo processo de simulação, análise e contratação. Após dois meses da implantação do projeto “BPO – Crédito Imobiliário – Pessoa Física”, que ocorreu em julho de 2017, o novo canal digital quintuplicou a quantidade de simulações da rede, totalizando cerca de 3.100 simulações diárias. Na rede de agências, o aumento na simulação foi de 32%. Em termos de propostas consideradas com chance de se tornarem um “negócio real” para o banco, houve acréscimo de 90%.

Midway Financeira – A empresa implementou a biometria facial no momento do cadastro para aquisição do cartão Riachuelo. Em 90 dias, houve mais de 1000 fraudes evitadas, por meio de uma solução que é multicanal (pode ser utilizada no aplicativo e no site) e gera empatia com a “geração selfie”.

Sobre a Cantarino Brasileiro
Com 13 anos de experiência no mercado, a Cantarino Brasileiro é uma tradicional empresa de marketing e comunicação focada nos mercados financeiro e de meios de pagamento. Seu objetivo é promover a aproximação entre empresas e manter o mercado atualizado sobre as tendências que regem o setor por meio de eventos, treinamentos, seminários, publicações, consultoria e relatórios setoriais.