PSafe orienta como fazer compras pela internet de maneira segura na Black Friday

Uma das principais datas do varejo, a Black Friday costuma movimentar o mercado de e-commerce, por conta de seus elevados descontos. No entanto, junto com muitas ofertas e uma maior predisposição das pessoas a comprarem, surgem também mais ameaças e armadilhas na internet.

O crescimento de pessoas conectadas, fazendo compras online, torna-se um atrativo para os hackers, que multiplicam suas formas de chegar até o usuário. Em 2015, a PSafe registrou um crescimento de 11% no número de ameaças e tentativas de infecção por vírus em smartphones com sistema operacional Android no Brasil, totalizando mais de 4 milhões de ameaças cibernéticas bloqueadas pelo PSafe TOTAL.

Para que os usuários possam fazer compras com tranquilidade, a PSafe reuniu algumas orientações sobre como se proteger.

Cuidado com as páginas falsas

Muitos hackers desenvolvem páginas falsas que simulam uma marca conhecida ou o site de uma loja que não existe. Com isso, o usuário corre o risco de efetuar pagamento de uma compra que nunca receberá o produto ou ainda ter seus dados expostos nas mãos de criminosos. Para evitar esse tipo de problema, é importante ter um aplicativo de antivírus completo, como o PSafe TOTAL, que identifica atividades maliciosas que seriam praticamente impossíveis de serem identificadas pelo internauta. Com isso, o usuário evita programas que podem executar ações ou espionar informações no celular. Além disso, na hora de finalizar compras e pagamentos, é importante verificar se há um cadeado ativo no topo do navegador para garantir que a loja virtual possui sistema de segurança de dados.

Certifique-se sobre a credibilidade da empresa

Uma medida importante é verificar junto ao Procon se a loja online desejada deve ser evitada, pois o órgão lista empresas que já foram alvo de reclamações de consumidores ou causaram problemas. A reputação da empresa e informações como CNPJ e razão social podem ser consultadas no site da Receita Federal. Além disso, é possível ver também as reclamações no site do Reclame Aqui. Vale lembrar que as lojas cadastradas no programa Black Friday Legal 2016 já passaram por essa verificação.

Desconfie de ofertas enviadas por mensagens (Phishing – link malicioso)

 Quando receber uma mensagem de um amigo ou desconhecido por SMS, e-mail, WhatsApp ou outros mensageiros solicitando o acesso a um link, tome cuidado, pois pode ser um conteúdo malicioso. Diversos hackers utilizam falsas promoções para atrair usuários e os direcionam para páginas que induzem o cadastramento em serviços pagos ou instalam programas que roubam dados. Portanto, evite clicar em links recebidos por serviços de mensagem ou e-mails e tente realizar a compra acessando a página por conta própria. Além disso, desconfie quando um link exigir compartilhamento com amigos e preenchimento de dados pessoais e bancários.

Atenção para não baixar aplicativos falsos

 Uma maneira muito comum de contaminação que pode gerar até mesmo prejuízos financeiros é o download de aplicativos que fingem ser um dispositivo de marca conhecida. Esses apps podem acessar a agenda de contatos, enviar SMS ou e-mails sem que você saiba, e até mesmo bloquear o aparelho para solicitar um “depósito” para liberação. Para não correr riscos, é importante baixar aplicativos apenas de lojas oficiais e confiáveis. Além disso, é preciso ficar atento na quantidade de acessos solicitados, por exemplo, um app de papel de parede que requer acesso a contatos e envio de SMS é algo que deve ser desconfiado

Evite acessar Wi-fi públicos

Quando a rede wi-fi está aberta, todos os aparelhos que estão conectados a ela ficam vulneráveis, pois alguns usuários podem estar monitorando dados de acesso. A interceptação de dados nessas redes pode deixar expostos arquivos pessoais e de trabalho, fotos íntimas e até mesmo senhas. Por esse motivo, é aconselhável utilizar apenas redes com senhas, que ofereçam algum tipo de criptografia.

blackfriday_final