Primeiro passo rumo a robôs do tamanho de células

Robôs de tamanho celular

Uma equipe da Universidade de Cornell, nos EUA, criou um exoesqueleto em escala microscópica que pode mudar rapidamente de forma ao detectar mudanças químicas ou térmicas em seu ambiente.

Uma vez equipadas com cargas eletrônicas, fotônicas e químicas – algo que ainda não foi feito – essas máquinas em microescala poderão se tornar uma plataforma para a robótica na escala de tamanho dos microrganismos biológicos.

“É um primeiro passo em direção aos robôs de tamanho celular,” disse o pesquisador Marc Miskin citando como possibilidades máquinas de dimensões celulares que mudam de formato, conduzem eletricidade e fazem sensoriamento ambiental.

“Nós estamos tentando construir o que você pode chamar de ‘exoesqueleto’ para a eletrônica,” disse seu colega Paul McEuen. “Hoje, você já pode fazer pequenos chips de computador que fazem um bocado de processamento de informações… mas eles não sabem como se mover ou fazer com que algo se dobre”.

“Você pode colocar o poder computacional da nave espacial Voyager em um objeto do tamanho de uma célula. A partir daí, aonde você vai para fazer explorações?” ajuntou Itai Cohen, membro da equipe.

Veja matéria completa aqui por Inovação Tecnológica