Preparando mulheres para carreiras como desenvolvedoras de jogos

Um programa na Universidade da Califórnia, Santa Cruz está abrindo caminho para mais mulheres iniciarem uma carreira na indústria de videogames.

Todos os homens da infância de Iman Fayek estavam obcecados com os videogames. Seu pai jogava, seu irmão jogava, os caras que trabalhavam para sua avó e na loja de informática pop jogavam e inevitavelmente, ela também jogava.

Uma vez, na nona série, Fayek até escreveu um ensaio sobre como sonhava em se tornar desenvolvedora de jogos. No entanto, esse sonho parecia irreal.

“Eu não acho que eu nunca chegaria lá”, disse ela. “Eu não acho que uma carreira no desenvolvimento de jogos era algo que eu poderia realmente perseguir.”

Essa dúvida desapareceu em 2016 quando Fayek se matriculou no programa de mestrado de Jogos e Playable Media da Universidade da Califórnia, Santa Cruz (UCSC), onde ela está aprendendo as habilidades necessárias para se tornar um desenvolvedor de jogos em tempo integral.

O programa, em parceria com a Intel, está criando um espaço acolhedor para as desenvolvedoras do sexo feminino através do acesso aos melhores educadores do campo, e está ajudando as mulheres a abrir caminho como desenvolvedoras de jogos profissionais.

Cada vez mais empresas de tecnologia estão interessadas em diversificar sua força de trabalho . Um estudo recente mostrou que as empresas que empregam mulheres e minorias em posições importantes ganham mais dinheiro, produzindo um “dividendo de diversidade”. Outro estudo do MIT descobriu que diversos locais de trabalho operam com mais eficiência. O programa de mestrado de Jogos e Playable Media da UCSC tem como objetivo atender a esta crescente necessidade, treinando mulheres que moldarão o futuro das indústrias de jogos e entretenimento.

Veja matéria completa aqui por IQ Intel.