Pele artificial reproduz sexto sentido de tubarões em condições reais

Sexto sentido dos tubarões

Um “material quântico” que imita a capacidade dos tubarões de detectar minúsculos campos elétricos emitidos por presas a quilômetros de distância demonstrou funcionar bem em condições oceânicas, o que confirma sua ampla gama de aplicações potenciais.

O material manteve sua estabilidade funcional e não sofreu corrosão depois de ser imerso na água salgada em condições realísticas, um pré-requisito para sua utilização no oceano.

Além de darem um sexto sentido magnético para os humanos, peles eletrônicas feitas com essa tecnologia poderão revestir aviões e geradores eólicos e prometem reduzir o consumo de combustível dos navios.

Ampola de Lorenzini

O novo sensor foi inspirado em um órgão localizado perto da boca dos tubarões, chamado ampola de Lorenzini, que é capaz de detectar pequenos campos elétricos emitidos pelas presas que estão sendo caçadas.

Veja matéria completa aqui por Inovação Tecnológica.