O impacto da transformação digital: do e-commerce para a eleição nos EUA

O mundo foi surpreendido pela vitória do candidato Donald Trump na eleição dos Estados Unidos. A maioria absoluta das pesquisas apontava a vitória da candidata do partido Democrata, tornando o resultado inexplicável à luz dos modelos preditivos utilizados. Em alguns casos, a disparidade foi exagerada como o indicador do jornal The New York Times, que apontava na véspera da eleição, a probabilidade de 84% na vitória da candidata Hillary Clinton.

Há algumas semanas, a mesma surpresa aconteceu – talvez em menor intensidade – quando o candidato a Prefeito de São Paulo, João Dória, foi eleito ainda no primeiro turno.

O que está acontecendo com as pesquisas? Elas deixaram de ser instrumento de avaliação confiável?

Vivemos um momento de intensa transformação de nossas vidas pela evolução tecnológica. Nossa percepção sobre os fatos é influenciada por uma série de fatores instantâneos não existentes há alguns anos. Os modelos preditivos precisam ser atualizados, pois se tornaram obsoletos frente a esta nova realidade. Novas variáveis e novas premissas de modelagem precisam ser consideradas. Além disso, a capacidade de processamento de informação evoluiu tanto que se tornou viável o tratamento de uma quantidade absurda de dados em frações de segundos. Os novos modelos podem ser mais assertivos à luz desta capacidade, mas também precisam ser atualizados com novas informações influenciadas pela realidade e opinião da sociedade.

A Ciência dos Dados, disciplina recente para tratamento e análise de informações em larga amplitude e escala, se propõe a tratar este desafio, avaliando uma infinidade de dados oriundos das mais diversas fontes possíveis e cruzando informações para identificar novas relações explicativas e preditivas. Tudo isso com dinâmica de atualização e refinamento constante.

Os negócios digitais demandam e se beneficiam do uso desta tecnologia. A Ciência dos Dados já é uma disciplina utilizada em várias empresas, sendo que os profissionais nesta área são altamente disputados. Nas vendas online, por exemplo, modelos analíticos usando “Data Science” trabalham com múltiplas variáveis de natureza diferente, como dados da navegação do consumidor: de onde ele veio antes de chegar ao site da loja; para onde foi; se comprou; como pagou; se não comprou, a partir de onde saiu da loja; dados geofísicos do cliente; tipo de acesso (mobile, desktop, tablet); browser utilizado; sistema operacional e até mesmo dados circunstanciais como: qual o clima do momento da compra e local do potencial cliente (se está chovendo e qual a temperatura)… São apenas alguns exemplos da infinidade de informações possíveis de análise para uma simples navegação online.

Os modelos preditivos para qualquer propósito precisam considerar este novo ambiente digital, onde o custo de processamento de dados cai em velocidade exponencial e a dinâmica de influências e tendências se transforma com frequência não observada anteriormente, devido à interação frenética das pessoas usando dispositivos móveis, mídias, canais sociais e digitais.

Donald Trump venceu e foi surpreendente. A indicação desta vitória foi perdida entre dados não tratados por modelos de análise ultrapassados.

Foto Gastão Mattos – download

Sobre Gastão Mattos

Com experiência de mais de 20 anos na indústria de pagamentos eletrônicos, Gastão Mattos foi diretor na Credicard entre 1990 e 1995, vice-presidente de marketing da Visa por mais de 6 anos, presidente da M-Cash de 2006 a 2011 e fundou a consultoria GMATTOS Projetos de Marketing, empresa responsável desde 2002 por  desenvolver projetos com foco no e-commerce como negócio.

Graduado em Engenharia e com pós-graduação em Engenharia de Produção, ambas pela Escola Politécnica da USP, foi presidente da Câmara Brasileira de Comércio (www.camara-e.net) entre 2003 e 2005. Desde 2011 é CEO da Braspag, empresa do grupo Cielo e líder em soluções de pagamento para e-commerce na América Latina.

 

Sobre a Braspag

Empresa do grupo Cielo, a Braspag é líder no desenvolvimento de soluções para processamento de pagamentos (gateway de pagamentos), conciliação, antifraude, virtualização e checkout com certificação de segurança PCI DSS 3.1 e ISO 22301 que fortalece a governança corporativa e garante a continuidade dos negócios. Possui presença direta nos principais países da América Latina e conectividade nos Estados Unidos por empresa do mesmo grupo. No Brasil, tem como clientes as principais empresas de comércio eletrônico, oferecendo soluções inovadoras, confiáveis, seguras e com o melhor custo-benefício do mercado. Além disso, a Braspag é a única empresa do setor que está formalmente comprometida com o Pacto Global da ONU, mantendo suas estratégias alinhadas aos princípios relacionados aos Direitos Humanos, Trabalho, Meio Ambiente e Contra a Corrupção.

Por: Gastão Mattos CEO da Braspag