As mentiras que os cibercriminosos contam: no dia da mentira, conheça as farsas virtuais que fazem vítimas no ambiente virtual

Os golpes virtuais atingem cada vez mais pessoas – só no ano passado, 42 milhões de brasileiros foram vítimas do cibercrime. Porém, diferente do que é difundido, os grupos criminosos muitas vezes utilizam uma técnica muito simples para atingir seus objetivos: a mentira. Com o Dia da Mentira, a Norton lista os principais golpes que buscam enganar as vítimas, além de dicas para não cair na lábia de um mentiroso virtual:

  • E-commerce e propagandas falsas – desconfie caso o preço de algum produto online estiver muito baixo. Pesquise a reputação da empresa e procure a opinião de pessoas que já compraram na loja. Evite comprar em lojas que não têm avaliações de consumidores e evite pagar em débito ou boleto, já que é mais difícil resgatar o pagamento. Caso suspeite que tenha sido vítima de um golpe, colete todas as informações da empresa, como endereço, CNPJ, informações de contato e abra um boletim de ocorrência.
  • Cavalo de Tróia –  é um malware que, disfarçado de programa legítimo, faz com que a vítima baixe e instale o software, e se mantém oculto no dispositivo enquanto faz o download e a instalação de uma ameaça mais robusta. Para evitá-lo, recomenda-se que os usuários tenham cautela em relação a e-mails não solicitados e de remetentes desconhecidos, mantenha o browser atualizado, somente baixe e instale softwares de fontes conhecidas e instale uma solução de segurança completa com firewall.
  • Aplicativos falsos – suspeite de aplicativos que solicitam permissão para acessar muitos dados. Por exemplo, um aplicativo de edição de fotos não precisa ter acesso à sua lista de contatos. Somente baixe aplicativos em lojas oficiais e leia com atenção a lista de permissão.
  • Notícias falsas nas redes sociais – cibercriminosos viralizam notícias falsas nas redes sociais com o objetivo de roubar dados de uma grande quantidade de pessoas. Suspeite caso o site esteja solicitando um cadastro e/ou o compartilhamento da notícia em troca do acesso ao conteúdo, pois é assim que o alcance do golpe é amplificado.

Além das armadilhas citadas acima, também existe a engenharia social. “Os criminosos entram em contato com a vítima, seja por e-mail ou telefone, e mentem sobre sua identidade ou uma situação. Por exemplo, um criminoso pode descobrir qual é o banco da vítima e enviar e-mails, dizendo ser o gerente e avisando sobre irregularidades na conta bancária. Assim, ele tentará convencê-la a passar seus dados pessoais”, afirma Nelson Barbosa, engenheiro de segurança da Norton. “É necessária muita atenção para não cair em um golpe de engenharia social, já que alguns criminosos podem fazer pesquisas até nas redes sociais de suas vítimas. O ideal é nunca passar os dados sem antes verificar se a pessoa é realmente quem diz ser”, explica Barbosa.

Para mais informações sobre segurança virtual e possíveis mentiras que os cibercriminosos contam, entre em contato para falar com um porta-voz da Norton.