Governo deve trabalhar para viabilizar novo ciclo de investimentos em telecomunicações

Segundo o secretário André Borges, novas regras vão eliminar os entraves que paralisaram os investimentos nos últimos anos. “O investimento em telecomunicações tem que acontecer sempre, não pode parar”, defendeu.

O governo deve trabalhar para viabilizar um arcabouço que permita a retomada dos investimentos em telecomunicações, afirmou nesta quarta-feira (23) o secretário de Telecomunicações do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), André Borges, na 60ª edição do Painel Telebrasil. No debate “Um novo ciclo para as telecomunicações no Brasil”, ele informou que o governo está atuando para flexibilizar o modelo de trabalho do setor.

“O investimento em telecomunicações tem que acontecer sempre, não pode parar. Mas havia uma série de entraves que atrapalharam esses investimentos nos últimos anos, e estamos corrigindo, flexibilizando o modelo do setor”, disse.

A retomada de um novo ciclo de investimentos para o setor com resultados diretos no desenvolvimento do país, segundo especialistas da área, depende fundamentalmente das diretrizes que serão definidas no novo modelo das telecomunicações. Nesse sentido, a mesa discutiu a necessidade de ajustar o atual marco legal e regulatório à realidade do Brasil e do mundo, às demandas dos brasileiros e aos desafios para o setor. O vice-presidente da Agência Nacional de Telecomunicações, Igor de Freitas, ressaltou o trabalho conjunto com o MCTIC para “buscar regras que deem segurança e transparência” ao setor.

Já o deputado federal Daniel Vilela (PMDB-GO) defendeu que a banda larga esteja “no centro da política pública de telecomunicações do país”.

Para o presidente da Ericsson para América Latina, Sérgio Quiroga, a regulamentação precisa acompanhar as evoluções das tecnologias e sistemas. “A tecnologia já mudou a regulamentação tempos atrás e vai mudar de novo”, concluiu.