“Gaymers” criam um ambiente acolhedor para todos

Uma convenção de games para a comunidade LGBT convida todas as minorias do mundo dos games.

Não é uma novidade dizer que o mundo dos games têm um problema de inclusão. Desde os recentes episódios de bullying público e xingamentos on-line até o preconceito explícito contra mulheres em eventos de games, o setor está passando por uma reestruturação necessária.

Segundo Matt Conn, um dos fundadores da GaymerX, uma convenção de games voltada para a comunidade LGBT, o preconceito entre os gamers existe desde que ele começou a jogar.

Mas talvez a GaymerX possa mudar isso.

Entrando em seu terceiro ano, a GaymerX será realizada em San Jose, Califórnia, nos dias 11 a 13 de dezembro de 2015. O escopo da conferência foi ampliado para incluir todas as pessoas que jogam games, ao invés de restringir seu foco apenas aos “gaymers”.

O tema e as discussões que giram em torno da diversidade e a ideia de espaços seguros fazem parte das motivações básicas de Conn, mas a mensagem se amplificou. O lema agora é “everyone games” (todos jogam).

A GaymerX é um exemplo de como mudar uma cultura de exclusividade por meio da inclusão. Mas uma mudança como esta não acontece facilmente; há muito tempo a conferência atrai a ira de pessoas que consideram que uma conferência de games voltada para a comunidade homossexual não tem sentido.

É essa mesma linha de raciocínio que leva as pessoas a acreditarem que se há eventos de orgulho gay, deveria haver também eventos de orgulho hétero, deveria haver as duas correntes apesar da disparidade entre as estruturas de poder da comunidade heterossexual e da comunidade LGBT.

Veja matéria completa aqui por IQ Intel.