Armazenamento na “névoa” elimina os riscos do armazenamento na “nuvem”

Para guardar seus arquivos com segurança, tire-os da visibilidade da nuvem e esconda-os nos recônditos da neblina.[Imagem: vozachudo2004/Wikimedia]

Dados imateriais

Duas especialistas em ciência da informação italianas estão propondo um novo conceito para o armazenamento remoto e distribuído de documentos que pode manter todos os benefícios da computação em nuvem, mas sem os problemas de segurança envolvidos em colocar seus documentos sensíveis em um único servidor remoto.

Em lugar do armazenamento na “nuvem”, é melhor armazenar os arquivos na “névoa”, propõem Rosario Culmone e Maria Concetta De Vivo, da Universidade de Camerino.

Elas lembram que os aspectos tecnológicos e regulatórios – a legislação de cada país – da computação em nuvem oferecem oportunidades e riscos. Ter seus arquivos hospedados em servidores remotos dispensa o investimento em hardware e torna os arquivos acessíveis aos usuários remotos de forma mais eficiente. No entanto, há lacunas na segurança e na acessibilidade dos arquivos na nuvem.

Foi por isso que elas se voltaram para outra metáfora meteorológica – a névoa, ou neblina – para propor um conceito que torna qualquer arquivo inteiramente imaterial, em vez de localizá-lo em um único servidor. É essa “diluição” dos dados que diminui a densidade da nuvem, tornando-a uma mera neblina.

Veja matéria completa aqui por Inovação Tecnológica.