A epidemia uberizadora

Há momentos em que toda a população precisa se vacinar contra determinada epidemia.

É movimento que não é individual, mas coletivo, de tipo de vírus que se espalha rapidamente.

Não cabe, nestes momentos, consulta de médico para saber se fulano está com unha encravada ou dor de dente.

Independente o problema que ele tem, precisará ser vacinado contra a epidemia. Ponto!

Há hoje grave problema no diagnóstico dos cenaristas e estrategias sobre o futuro.

Vivemos hoje Epidemia Administrativa com a chegada da Revolução Civilizacional Digital, que traz novo Modelo Administrativo, que podemos chamar de Curadoria, no popular Uberização. Pouca gente percebeu a gravidade do problema.

A Uberização é Epidemia Administrativa, pois:

  • É nova forma de solução de problemas com modelo de coordenação de processos e pessoas completamente distinto da gestão;
  • Se espalha rapidamente;
  • Tem a aceitação do consumidor/cidadão, que a incentiva;
  • Consegue entregar melhores resultados que o atual modelo da Gestão;
  • E se torna, por causa disso, mais competitiva nos mercados em que passa a atuar.

Quando vários amigos consultores vão aos clientes perguntar “qual é o problema” dentro das organizações, o cliente fala da unha e do dente que está doendo como se a epidemia não existisse.

Porém, as perguntas que não podem ser colocadas para debaixo da tapete são:

  • Até que ponto aquele mercado está longe do foco da Epidemia Uberizadora?
  • Que medidas serão feitas para se proteger?
  • O que acontecerá com uma organização, caso apareça um Uber pelo caminho?

A vacina anti-uberizadora tem nome: Inovação 3.0.

A Inovação 3.0 é metodologia que desenvolvi com meus alunos e clientes baseada em projetos de Inovação Estratégica que incorpora o fenômeno da Revolução Civilizacional Digital e a chegada do novo Modelo Administrativo Curadoria/Uberização.

Pretende vacinar organizações contra a Epidemia Uberizadora, através da criação de Labs 3.0, que forma equipe para:

  • Monitorar mercado uberizador;
  • Criar e testar protótipos uberizados;
  • Transformar protótipo em produtos e serviços uberizados;
  • E serviços e produtos uberizados em nova Organização 3.0.

É a primeira “vacina” estruturada que temos no mercado contra a Epidemia Uberizadora.

O problema que a maior parte das empresas ainda não se deu conta do risco que a Epidemia Uberizadora pode e vai causar.

Fica-se tomando Novalgina contra a “febre-amarela-uberizadora”. E se preocupando com unhas e dentes doloridos.

Só resta rezar.

É isso, que dizes?

Por:  Carlos Nepomuceno via Administradores.com